Instituto Memória - Centro de Estudos da Contemporaneidade Instituto Memória - 15 anos Instituto Memória - Televendas - 41.3016 9042
 

PESQUISA
Pesquisa por Título ou Autor/Colaborador:

Texto da Pesquisa:


clique na capa para ampliar

ESGOTADO - A DOR DE JOANA - ROMANCE

Autor: Carolina Vila Nova
Páginas: 140 pgs.
Ano da Publicação: 2013
Editora: Instituto Memória
Preço: R$35,00

SINOPSE

“A Dor de Joana” que conta a história de uma linda jovem que vive em um bordel numa pequena cidade perdida no meio do nada, no sul do estado de São Paulo. A personagem descrita na obra parece não viver, apenas existir. O fato de trabalhar em um bordel não a condena moralmente, mas mesmo assim seus dias são de dor e angustia por estar aprisionada em seu próprio passado. Apesar de seu estado adverso estar bem distante daquilo que almejava para sua vida, os dias seguem tendo ela apenas a sua sombra como testemunha da sua dor. Isso nos remete a frase do filósofo Jean-Jacques Rousseau que afirmou que todo homem nasce livre e, por toda parte, encontra-se acorrentado. É através do erotismo e do sexo que Joana procura anestesiar suas dores, talvez como uma forma de autopunição por não ter uma estrutura psicologicamente sedimentada que fosse suficiente para suportar a condição existencial que o destino lhe reservou. O drama em que Joana vive é contado em Flashback, ou seja, ela nos transporta ao passado onde ficamos sabendo toda a sua trajetória de vida e depois retorna, fazendo conexão com o tempo presente. Nesse contexto narrativo vamos nos deparando com personagens e situações dos quais, de alguma forma, vamos nos identificar. O enredo segue e nos surpreende a cada capítulo. A autora nos mostra que é possível fugir do lugar comum. Carolina Vila Nova consegue nos fazer mergulhar no universo criado por ela a ponto de querermos partilhar as emoções da personagem principal. Quando ela descreve que o barulho do vento instiga as lembranças de Joana, acentuando o seu sofrimento, realmente temos a sensação de estar ouvindo o som do vento cantando no canto da casa e a partir daí passamos a sofrer com ela. O leitor também se sente um pouco aprisionado e não vai querer parar de ler até saber qual será o destino da personagem central da trama que, sem dúvidas, é surpreendente. É por esta habilidade de conduzir uma história, com uma narrativa firme, que não sai dos trilhos, é que a autora irá conquistar, cada vez mais, os leitores que apreciam uma boa história. Ao que tudo indica a Alemanha perdeu uma cidadã e o Brasil ganhou uma grande escritora da nova geração.Willy Schumann é jornalista e escritor